Conteúdo exclusivo

Debs Aquino

Dentista e corredora.
A corrida ajudou a superar
o câncer de mama.


Meu nome é Déborah Aquino, tenho 43 anos e, ao longo da minha vida, passei por três processos de emagrecimento. No primeiro, aos 20 anos, quando saí da faculdade, perdi 16 kg. Durante os quatro anos em Bauru, adquiri péssimos hábitos alimentares e de sono. No último ano, como queria me formar magrinha, fiz uma reeducação alimentar aliada com exercícios e perdi tudo que havia ganhado naqueles anos. Porém, entrar no mercado de trabalho me trouxe uma rotina de vida que eu não conhecia. Fazia plantões em clínicas odontológicas à noite pelo menos duas vezes por semana, o que, junto com o trabalho diário, foi minando novamente minha saúde. O sono era escasso, e o cansaço, enorme. Acabei engordando de novo. Foi quando a corrida entrou na minha vida como elemento salvador. Comecei a correr, me apaixonei pelo esporte, emagreci, dormia e comia melhor. Em 2013, tive câncer de mama e foi aí que minha vida mudou. Ao longo do tratamento, químio e rádio, mudei minha alimentação radicalmente. Cortei açúcar, farinha branca e o glúten, passei a fazer exercício quatro vezes por semana com regularidade e aprendi que o sono também precisa de cuidados. Aprendi a fazer a higiene do sono todos os dias e passei a dormir oito horas ininterruptas, com uma qualidade absurda. Hoje, cinco anos depois dessa grande mudança, percebo que, para mudar um hábito ruim, é necessária uma atitude chamada constância. Aquele hábito ruim estará sempre lá, adormecido, esperando para dar o “bote” de novo. Cabe a nós solidificar o comportamento novo e mantê-lo através de atitudes!


Confira em breve o conteúdo exclusivo aqui.